O sujeito resolve dar uma esmola para leproso na calçada, aproveita e pergunta: – Você sabe onde tem uma farmácia por aqui?
– Ali, ó… siga o meu dedo!